quarta-feira, março 29, 2006

Quinta do Vale Meão 2002


A Quinta do Vale Meão foi uma aquisição de Dona Antónia Ferreira (Ferreirinha), que acreditou nas potencialidades produtoras do Douro superior ainda antes daquela zona estar incluída na região demarcada. Esta quinta foi também a sua única obra completa, pensada, projectada e concluída por si. A Quinta do Vale Meão tem uma longa história de produção de vinhos de qualidade, tendo sido nela onde nasceu o Barca Velha. Após ter comprado a totalidade da propriedade aos seus familiares, Francisco Olazabal, descendente da Ferreirinha, lançou-se no projecto de fazer um vinho de quinta, que ano após ano tem sido muito elogiado pela crítica e pelos consumidores.
Região: Douro
Enólogo: Francisco Olazabal (filho)
Produtor: Francisco Olazabal & Filhos
Produção: cerca de 30 mil garrafas

6 comentários:

João Barbosa disse...

É dos vinhos mais gulosos que bebi até hoje. Que saudades que tenho dele... apesar de quase me ter zangado com os amigos quando o bebemos. Por generosidade quis partilhar umas garrafas com um grupo (restrito), mas ao verte-lo nos copos e ao tragá-lo a coisa deu para o torno e os pecados da gula e do egoismo tomaram conta de nós. Haviam de ver homens feitos, amigos de longa data, fiés compinchas e confessores, bulharem por causa de umas pingas e a esconderem as garrafas e a mentirem sobre o aprovisionamento subjante para que os outros mais não tivesse e fossem os próprios a deliciarem-se com este tinto de 2002. Tintos destes deviam ser proibidos enquanto não fôssemos ricos!

P.Rosendo disse...

Ai meus amigos, que pinga. Eu se ganhasse o euro milhões toda a gente, que conheço, bebia disto. Isto é o néctar dos deuses e até nos faz esquecer todos os pecados que praticámos. E obriga-nos a pecar (seja isso o que for) mesmo bebendo-o. Nota 19 em 20.

Jorge Gamboa disse...

9/10

P.Rosendo disse...

Corrigindo a nota para a escala de 0 a 10. 9/10 até à proxima prova que espero ser em breve.

Pedro Guimarães disse...

Tenho lido, neste nobre blog, as apreciações e notas dos diferentes intervenientes, mas nenhum ainda escreveu sobre o momento indicado para beber estas pingas!!
Eu acho (tanto no Vale Meão como no Vinha do Lordelo) que os beberam muito cedo.......

P.Rosendo disse...

Caro Pedro,

Como é evidente estes vinhos têm a melhorar com o tempo (depende das condições em que se guardam evidentemente). O melhor tempo para os beber é sempre quando existe a oportunidade ou oportunidades. Espero vir a prová-los mais vezes e que ele melhor, seja como for está bem bebivel.