quarta-feira, março 29, 2006

Maritávora tinto 2003

A Quinta de Maritávora situa-se em Freixo de Espada-à-Cinta, no Douro superior. O vinho fez-se com diversas castas, donde se destacam a tinta roriz, a touriga franca e a touriga nacional. A idade maioritaria das vides é de 15 anos, mas no lote há uvas provenientes de árvores com 50 anos.
Região: Douro
Enólogo: Jorge Serôdio Borges
Produção: 10 mil garrafas
Produtor: Ash Tree Wines

4 comentários:

João Barbosa disse...

A primeira vez que provei este vinho ia à retranca, por razões que para aqui não interessam. Confesso, confesso, que não esperava nada de transcendente. Quando o provei levei um puxão de orelhas do vinho. A coisa era boa e complicada... complexa. Achei que tinha qualquer coisa que não compreendia. Pensei que fossem os taninos. Mas não eram, explicaram-me depois, com paciência. Era o «terroir». O bicho tinto tem o carisma do sítio donde veio. Fiquei desconfiado, garantiram-me que quando visse a quinta perceberia. Quando a vi percebi. Depois fiquei amigo do produtor, que é um tipo CINCO ESTRELAS. Se o meu amigo Manuel passasse um rolo das estradas pela quinta, depois regasse bem e envernizasse aquela quinta ficava um primor... aquele chão de xisto é digno de um palácio... e com aquelas árvores todas... ou seria um fantástico e exuberante jardim dum sultão ou um excêntrico salão a céu aberto. Por mim, este vinho vale muito a pena beber e repetir, pois sempre que se bebe descobre-se algo de novo. É um bom amigo este vinho e dá boas conversas.

P.Rosendo disse...

Bem, muito pouco posso acrescentar aos comentários anteriores. Posso dizer também que é um vinho extremamente difícil. Difícil por não ser um vinho corrente mas é um vinho com personalidade e sabores diferentes do habitual Não é vinho para ser bebido sem ser por apreciadores. Pela novidade que é, para mim, nota 15 em 20.

Jorge Gamboa disse...

Dou 6/10

P.Rosendo disse...

Corrigindo a nota para a escala de 0 a 10. 6/10.