sexta-feira, março 02, 2007

Altano Reserva 2003

Quem me conhece sabe que estou marimbando-me para a relação entre a qualidade e o preço. Pura e simplesmento não quero saber. Das duas uma: ou tenho dinheiro para a coisa que quero e compro-a ou não tenho e esqueço-a. Se a tenho, aprecio-a, desfruto-a e, eventualmente, lamento depois de provada. Se não a tenho, nem quero saber.
Vem toda esta introdução, porque recomendei e recomendarei muitas vezes o Altano a quem aprecia as boas relações entre a qualidade e o preço e também não gosta de gastar muito dinheiro com um vinho. Vem esta introdução a propósito de, por ter gostado do modesto Altano, ter oferecido o Altano Reserva, mesmo arriscando sem provar. Vem toda esta introdução a propósito de tanto assim ser que o meu amigo Paulo Rosendo (parceiro neste blogue ... ele vai perdoar-me, não sei se a quem o ofereci serão tão benevolentes) me ter oferecido o Altano Reserva.
Ora que tal é este Altano Reserva 2003? No nariz é vegetal com uma leve nota frutada... num primeiro embate é tascoso, até vem um certo golpe alcoólico, que é desnecessário. Na boca é uma desilusão. É chatíssimo! É aborrecidíssimo, bocejante, entediante.
Garanto que é inversamente proporcional ao irmão mais modesto. Enquanto o singelo Altano merece todos os poucos euros que se paga por ele, este não vale a diferença. Nem só pela relação entre a qualidade e o preço. Este deveria ser mais barato do que o outro.
JB

Comprei uma caixa recomendada por uma amiga do JB e ofereci antes de experimentar. Espero que não me matem por isso. Concordo inteiramente com todas as palavras do meu amigo acerca do vinho em si. Pode haver gente que goste do género mas para mim vai ser mais um vinho a evitar.
PR

Região: Douro
Produtor: Symington Family Estates
Teor alcoólico: 13,5%
Nota JB: 2,5/10
Nota PR: 3/10

4 comentários:

douro lover disse...

Há que saber apreciar vinhos que não se deixam sair com qualquer um. Nem tão depressa.Há que saber esperar pelo seu "desabrochar". Aí, todos os sabores surgem naturalmente.

Anónimo disse...

Ó Morção: http://www.portugalemgrande.com/?q=node/1135
Sabes ler?

João Barbosa disse...

O morcão além de cromo mal educado percebe tanto de vinho como eu de jantes de Ferraris.
.
.
.
já o Douro Lover tem coisinhas melhores por desabrochar com que se entreter. é que este vinhito é pior do que o «normal». azaritos

P.Rosendo disse...

Ao Anónimo, sei sei ler até sabia desta noticia quando o bebi... e por isso a minha opinião ainda foi pior. De qualquer maneira ó morcão é sempre a minha opinião e o meu gosto em causa.

Douro Lover, sim é verdade os vinhos demoram a "desabrochar" e ainda bem que temos todos gostos diferentes. Ainda bem que gosta, pode ficar com todas. Já o voltei a beber e a minha opinião é igual.